Ex.: Agua para elefantes ou Al Pacino
Curso - 'CINEMA RUSSO'

21/03/2018

Curso CINEMA RUSSO: DIRETORES, DIRETORAS E UM POUCO DE HISTÓRIA.


Apresentação

Em 2017 comemorou-se o centenário da Revolução Russa. Evento fundamental da história moderna, seu aniversário foi motivo de inúmeras publicações e muitas mostras de filmes. Oportunidade também para, à luz das revisões críticas, pensarmos alguns diretores e diretoras que de alguma maneira representam esta cultura tão rica e tão complexa. Partindo daí, o curso objetiva traçar um breve panorama da produção circunscrita à Rússia, embora a geopolítica em muitos dos filmes remeta à União Soviética.




Com uma história extensa e longeva, optou-se por recortes precisos, privilegiando títulos que se expressam pela reconhecida relevância em termos temáticos e estéticos. Assim, o painel contempla diretores da vanguarda russa, como Eisenstein, nomes canônicos para a história do cinema, como Tarkovski, ao mesmo tempo em que investe em produções que trabalham temas caros à identidade russa, como a Segunda Guerra Mundial e a invasão alemã, em clássicos como Vá e Veja, por exemplo. A literatura russa, cuja magnitude é inquestionável, também é explorada, em especial as adaptações das obras de Dostoievski, como "Crime e Castigo". O cinema contemporâneo, ilustrado por filmes de Sokurov e Zvyagintsev, igualmente terá espaço.




Em outro bloco, serão estudadas no curso cinematografias de diretoras que muitas vezes estão ausentes da(s) história(s) do cinema russo, mas guardam importância equivalente a seus pares canônicos. Cineastas como Esfir Shub e Olga Preobrazhenskaya, expoentes da vanguarda dos anos 20; Larisa Sheptiko e Kira Muratova, representantes do cinema moderno russo dos anos 60, e contemporâneo no caso de Muratova e Yuliya Solntseva, esta a primeira mulher a ganhar prêmio de melhor direção no Festival de Cannes em 1961.




Objetivos

O Curso CINEMA RUSSO: DIRETORES, DIRETORAS E UM POUCO DE HISTÓRIA, ministrado por Ivonete Pinto e Juliana Costa, vai traçar um panorama da cinematografia russa, desde o início do século XX até os dias atuais, revisitando suas diversas fases, começando com os pioneiros filmes de propaganda soviética, passando pelos experimentalismos da vanguarda, o reconhecimento mundial nos maiores festivais de cinema nos anos 50 e 60, chegando aos dias atuais com sua vigorosa produção que circula por todos os continentes. O destaque do estudo será os realizadores e suas obras mais significativas, com um capítulo especialmente reservado às mulheres realizadoras.




Os Filmes

O Encouraçado Potemkin (Serguei Eisenstein, 1925); Women of Ryazan (Olga Preobrazhenskaya, 1927); A Queda da Dinastia Romanov (Esfir Shub, 1927); Um Homem com Uma Câmera (Dziga Vertov, 1929); Hoje (Esfir Shub, 1929); The Last Attraction (Olga Preobrazhenskaya, 1929); Quando Voam as Cegonhas (Mikhail Kalatozov, 1957);Desna Encantada (Yuliya Solntseva, 1964); Asas (Larisa Sheptiko, 1966); Andrei Rublev (Andrei Tarkovski, 1966);O Inesquecível (Yuliya Solntseva, 1967); O Longo Adeus (Kira Muratova, 1971); Solaris (Andrei Tarkovski, 1972);Stalker (Andrei Tarkovski, 1979); A Ascensão (Larisa Sheptiko, 1977); Vá e Veja (Elem Klimov, 1985); O Sacrifício(Andrei Tarkovski, 1986); Síndrome Astênica (Kira Muratova, 1990); Páginas Ocultas (Alexandr Sokurov, 1994); O Sol Enganador (Nikita Mikhalkov, 1995); Arca Russa (Alexandr Sokurov, 2002); Leviatã (Andrey Zvyagintsev, 2014); Sem Amor (Andrey Zvyagintsev, 2017) e Masha e o Urso (curtas animados).




Ministrantes

Ivonete Pinto

Doutora em Cinema pela ECA/USP, professora no curso de Cinema e Audiovisual da UFPel; editora da revista Teorema; sócia-fundadora e integrante da diretoria da Abraccine - Associação Brasileira de Críticos de Cinema. Participou do júri da crítica em festivais como FestRio, Gramado, Mar del Plata, Havana, Cartagena, Teerã e Toronto. É autora dos livros A Mediocridade, Descobrindo o Irã e Samovar nos Trópicos. Organizou, com Orlando Margarido, o livro Bernardet 80: Impacto e influência no cinema brasileiro e, com Fatimarlei Lunardelli e Humberto Silva, o livro Ismail Xavier 70 (no prelo). Já ministrou o curso "Abbas Kiarostami: A invenção do real" pela Cine UM.


Juliana Costa

Pesquisadora de cinema; Mestre em Educação pela UFRGS, com pesquisa em Cinema e Educação. Sócia fundadora do Cineclube Academia das Musas, dedicado a estudar e difundir a cinematografia de diretoras mulheres, e editora da revista virtual de mesmo nome. Editora do Zinematógrafo, fanzine de crítica de cinema, e sócia da ACCIRS -Associação de Críticos de Cinema do RS.




Curso CINEMA RUSSO: DIRETORES, DIRETORAS E UM POUCO DE HISTÓRIA de Ivonete Pinto e Juliana Costa

Datas: 07 e 08 de Abril (sábado e domingo)

Horário: 14h às 17h

Duração: 2 encontros presenciais (6 horas / aula)

Local: Cinemateca Capitólio Petrobras (Rua Demétrio Ribeiro, 1085 - Centro Histórico - Porto Alegre - RS)

Investimento: R$ 95,00 * Desconto para pagamento por depósito bancário:

a) R$ 80,00 (para as primeiras 10 inscrições)

b) R$ 90,00 (demais inscrições)

Formas de pagamento: Depósito ou transferência bancária / Cartão de crédito (PagSeguro)

Material: Certificado de participação e Apostila

Informações: cineum@cineum.com.br / Fone: (51) 99320-2714

Inscrições: www.cinemacineum.blogspot.com.br

Realização: Cine UM Produtora Cultural

Patrocínio: Back in Black / B&B Games / Keno Play / Hora do Cinema Store

Apoio: Cinemateca Capitólio Petrobras